últimas...

Dias a fio...

Remetente & destinatário....

Without sense...

Laços...

Quando ele chega...

Erg chebbi

Fé de Fez...

Bleu Chefchaouen...

Diário de viagem...

Menina e moça...

um dia..

Abril 2012

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Quinta-feira, 22 de Maio de 2008

... como uma ervilha

 

Como pode o meu coração, de um dia para o outro, ficar dimensionado a uma ervilha e pesar toneladas?

sim... estou a falar contigo! responde-me! tu que vives dentro de mim e não me obedeces! mal agradecido!

Levo-te a passear, ofereço-te tantas coisas boas e é assim que me tratas? Eu própria fico do teu tamanho quanto me respondes assim, deixas de ser o meu núcleo, passas a ser o meu SER!

Não, não respondas às urgentes perguntas que te fiz! deixa-me confinada a um grão de pó... achas que mereço?

Às vezes és cruel ao ponto de me matares a sede com água salgada... bem... talvez seja melhor não te falar assim em liberdade! ... não vás tu revoltar-te e pregar-me alguma partida das tuas!

 

 

 


 

 

 

 

 

"Não posso adiar o amor para outro século
não posso
ainda que o grito sufoque na garganta
ainda que o ódio estale e crepite e arda
sob montanhas cinzentas
e montanhas cinzentas.
Não posso adiar este abraço
que é uma arma de dois gumes
amor e ódio.

Não posso adiar
ainda que a noite pese séculos sobre as costas

e a aurora indecisa demore
não posso adiar para outro século a minha vida
nem o meu amor
nem o meu grito de libertação.
Não posso adiar o coração."

António Ramos Rosa

música: O bater do coração

publicado por teetee às 11:39

link do post | comentar | favorito

3 comentários:
De Nuite a 22 de Maio de 2008 às 14:20
Se me é permitido irei utilizar palavras não minhas …
(tal e qual como aconteceu em quatro casamentos e um funeral )
“ Não é o corpo – objecto descrito pelos cientistas que exige concretamente, mas sim o corpo vivido pelo sujeito. A mulher é uma fêmea na medida em que se sente fêmea (…) Não é a natureza que define a mulher: esta é que se define, retomando a natureza em sua efectividade.”
Viver minha querida ! é a nossa maior aventura …

De mim para ti
quilos de boas energias


De baraujo a 22 de Maio de 2008 às 16:06
não te consegues resumir a insignificancia de um grão de pó, nem tao pouco de uma ervilha... não consegues nem te reduzas a tal, nem qualquer parte de ti.

quanto muito..
és um ervilhal florido, como o cheiro da terra molhada após uma qualquer chuva primaveril,
quanto muito...
és um jardim de sensações, emoções, sentires, saberes, dizeres, fazeres, imaginação em fragmentos temporais e bom-senso...
quanto muito... no mínimo tudo isto.

um beijo enormemente terno.


De T.Poeta a 26 de Maio de 2008 às 05:12
Ao convercermo-nos com o que alguém escreve

Será que é por sentirmos uma parte dessas palavras como nossas?
Será que é por passarmos ou sentirmos as semelhanças de certas situações escritas em comparação com a nossa vida?

Será por tudo isso ou por outra coisa que não é nada disso?

Terás, de certo, uma resposta. Uma opinião mais concreta do que este meu exercício abstrato.

A verdade, e só agora isso importa, é que estamos no mesmo barco - ainda que por mares quiçá distantes. E navegando ao sabor da brisa, um simples obrigado resume toda a viagem até aqui.

Faz com que os pontos cardeais se unam no acaso, e nessa estranha aproximação não haja o menor pensamento de solidão que tamanho oceano possa por vezes causar.

É isto. ( Será?)


Un baci.


Comentar post

me?

pesquisar

 

Abril 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


links

tags

todas as tags

subscrever feeds