últimas...

Dias a fio...

Remetente & destinatário....

Without sense...

Laços...

Quando ele chega...

Erg chebbi

Fé de Fez...

Bleu Chefchaouen...

Diário de viagem...

Menina e moça...

um dia..

Abril 2012

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Sábado, 9 de Outubro de 2010

Laços...

 

Como começar uma história sem a celebre frase “Era uma vez”?...  Esta não é mesmo uma tarefa fácil, descrever  ou traduzir por palavras a história de alguém, sobretudo quando se trata de um alguém que nos é muito querido, um alguém que tem o mesmo sangue que nos corre nas veias, se as palavras tivessem avesso tudo seria muito mais fácil.

Bem, e sem dar conta já dei inicio á tarefa!

Era uma vez, era uma vez… e assim já são duas!... uma bebe que nasceu dia 21 de Abril de 1992, nessa primavera já eu tinha 13 anos e nesse dia (assim de um dia para o outro), precisamente nessa data, passei a ter uma função a que os familiares chamavam “irmã mais velha” e ser ter um curso ou workshop depressa aprendi a mudar fraldas, fazer biberões de leite e mais um sem fim de cuidados que envolvem a vida de um bebé.

Chama-se Joana, a menina que tratou de me tirar, de um dia para o outro o lugar de filha única para o lugar de “irmã mais velha”… lindo serviço! Não se faz!

Levou algum tempo até lhe perdoar!... Especialmente porque até mesmo depois de crescer era eu a gata borralheira que arrumava o quarto.

Depois de muitas e muitas noites a desejarmos “sonhos de todas as cores uma à outra”, o tempo passou e com ele cresceu também a amizade e a cumplicidade entre nós e agora que a conversa está a tomar um tom mais sério é altura de dizer “gosto muito de ti miúda!”. A miúda, de tanto comer (pois é adepta de um bom petisco e do vitória de Setúbal também) tornou-se numa valentona capaz de defender a “mana mais velha”, muito mais enfezada!

Em pouco ou nada somos parecidas, ninguém nos diria irmãs ou sequer primas, tal como a canção do Marco Paulo “uma é loura e a outra é morena”, os nossos pais têm dois amores!

E agora que a tarefa está a mais de meio de acabar é tempo de escrever umas linhas no diploma da melhor irmã do mundo que me ensinou a partilhar, a cuidar de um nenuco de verdade, a dizer “não venhas tarde”, a recomendar “não te esqueças de estudar”, mas acima de tudo ensinou-me a gostar como não se gosta de mais ninguém!


publicado por teetee às 12:57

link do post | comentar | favorito

2 comentários:
De Nocas a 9 de Outubro de 2010 às 23:03
A partilha faz de nós melhores pessoas... já no meu caso (irmã mais nova), aprendi a respeitar o espaço do mais velho, e também tive o dom de ter sempre presente um protector... é tão bom ser a mana mais nova ;)


De teetee a 10 de Outubro de 2010 às 09:39
Olha que no meu caso sou a mais velha e é ela que me protege ah ah!!
Mais velha ou mais nova, essencialmente é ter alguém por perto, é bom ter irmãos!!!

Beijoca daqui para aí

teetee


Comentar post

Escuta ...


MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com

Truz Truz...

Free Hit Counters
Free Counter

me?

pesquisar

 

Abril 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


links

tags

todas as tags

subscrever feeds