últimas...

Dias a fio...

Remetente & destinatário....

Without sense...

Laços...

Quando ele chega...

Erg chebbi

Fé de Fez...

Bleu Chefchaouen...

Diário de viagem...

Menina e moça...

um dia..

Abril 2012

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Domingo, 27 de Janeiro de 2008

O que tens hoje? ... perguntas

 

Tenho tudo aquilo que escrevi e tornei meu,

... tudo o que sou, o intervalo entre o passado e a esperança,

... saudades, tenho-as sempre, de ontem, de hoje e de amanhã,

Tenho o sono do meu sofá e a alavanca do querer... do crer,

... as tardes de sol, o que os outros dizem de mim e os ombros que permitem ouvir-me,

Tenho ausências, um dia de cada cor, e os feixes de luz que me entram no quarto pela manhã,

Tenho o sorriso, o choro, o bocejar e um encontrão na multidão,

... a ousadia do desejo e o pulso da sensatez,

... A distracção ocular, a sombra e o reflexo,

... A ambiguidade de parar e ver em vez de olhar e a ilusão de erguer castelos no ar,

... o fascínio de um beijo e a rigidez de um aperto de mão,

Tenho o exercício da benevolência subtil e da polidez agradecida, que todos devemos aos estranhos,

... as depressões das noites de domingo e a boa disposição das canções que recebo da rádio nas manhãs de segunda feira,

Tenho o sabor do café cheio, tomado no aeroporto, antes de partir e um chegar esperado,

... a repulsa ao embrutecimento, o mi de miúda, fraquezas e incertezas

Tenho as expressões vazias da mentira e nos olhos a verdade,

... dias sim e dias não, o aconchego de uma pequena palavra,

... os bons dias para o jardineiro e o croissant na mesa do fundo,

Tenho o correio de todos e as contas de sempre,

... os sentidos atentos e um esfregar de olhos ao acordar,

... o nada que é tudo

 

 

                                                                             

                                                                                      Respondo

 

 

 

                                                     Frida Kahlo

 

 

 

tags: ,

publicado por teetee às 21:17

link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

Quinta-feira, 24 de Janeiro de 2008

Velhotas muito velhinhas

 

Deixa-me

Fazer-te canja de galinha, fazer-te rir e acolher-te com aquele abraço,

 

Deixa-me

Fazer-te reconhecer que um dia, quando fores velhota muito velhinha, quando o xaile já te pesar nas costas, celebrarás este tempo,

 

Deixa-me

Retribuir as macãs reinetas que um dia descascaste para mim, os dias que me afagaste o cobertor e me fizeste sentir que ali estavas,

 

Deixa-me

Usar o "tudo passa", essa expressão tão tua que um dia se fez minha, que me fez acreditar no outro e no outro dia que se avizinhava,

 

Deixa-me

imaginar-nos de mãos enrugadas, trôpegas e recontarmos pequenos retratos já distorcidos pelo tempo, episódias de percursos sinuosos e planos inclinados que outrora subimos lado a lado, puxando uma... pela... outra,

 

Deixa-me

Ter com quem queixar-me do reumático, dos Joanetes e das feridas mal curadas,

 

Deixa-me

Acreditar que nunca esperarei cartas tuas porque estarás sempre aqui!

 

Deixa-me

Usar palavras tuas e ouvir-te dizer "sou um pedaço de ti"

 

Deixas?

 

 

sinto-me: Tua amiga de muitas vidas
tags:

publicado por teetee às 20:56

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Domingo, 20 de Janeiro de 2008

Exposição...

 

fotografias...

 

Rever cacos velhos, mãos e joelhos esfolados, sorrisos esboçados, pedaços de um livro, de uma história, rever-nos como a personagem principal, num enredo em que nos cabe a responsabilidade de escolher entre o sim e o não, o trilho de uma planície ou uma cordilheira.. cada alteração da rota

Num instante assalta-nos o conhecimento do real, a essência da identidade individual que depende da memória que vincula o passado ao presente, une o antes e o agora, combate o nada, o esquecimento e evidencia cada momento..

Reencontrar retalhos  de nós, de sonhos prometidos, tudo! ali a cru! numa camada de material sensível à exposição luminosa, numa folha que transparece pedaços do que somos do que construímos, daquela que é a nossa face... nem sempre o nosso eu! Uma linguagem nem sempre notória.. dois mundos que se tocam pela linguagem denotativa e conotativa.. um esconde esconde a descoberto, ali representado!

Folhear a nossa vida que se estende para além da vista, ver o amar e o amor de quando em vez desencontrados, amigos de sempre, um rasgar de sorrisos de ocasião, para aquela luz que dispara e que nos separa daquele dia! daquele preciso dia, o menos importante que fica soletrado naquele fragmento do tempo..

Um dia... os acontecimentos terminam e as fotografias permanecem, atravessam as malhas do cansaço e mostram-nos quem fomos e não somos!

 

 


publicado por teetee às 20:09

link do post | comentar | favorito

Sábado, 19 de Janeiro de 2008

...

                                                                                                               Wiener  Staatsoper

 

Quero salvar-te do meu esquecimento!

sinto-me: Numa outra vida
música: Der Nussknacker - Tschaikowski

publicado por teetee às 14:40

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Escuta ...


MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com

Truz Truz...

Free Hit Counters
Free Counter

me?

pesquisar

 

Abril 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


links

tags

todas as tags

subscrever feeds