últimas...

Dias a fio...

Remetente & destinatário....

Without sense...

Laços...

Quando ele chega...

Erg chebbi

Fé de Fez...

Bleu Chefchaouen...

Diário de viagem...

Menina e moça...

um dia..

Abril 2012

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Quinta-feira, 19 de Abril de 2012

Dias a fio...

 

 

Ás vezes é dificil não escrever com as palavras que contam, o bisturi conta e corta, queremos proteger os sentimentos... protegê-los do frio, da erosão do tempo, das pessoas, dos ditos e mexericos, do poder da lingua e de lhes acrescentar isto e aquilo e da tendência da lei da gravidade, do dote de os esvaziar igual balão que se perde no ar...

 

Ás vezes é dificil organizar os próprios sentimentos e traduzi-los em caracteres, arrumá-los em frases, metáforas e ditongos que contarão histórias e já se sabe: "quem conta um conto acrescenta sempre um ponto", afinal é essa a beleza de ler uma carta, de ouvir uma lenda, de olhar uma tela. As palavras, essas, são as mesmas, o código é universal com poucas ou pequenas variações e conspira contra, ou até, talvez, por vezes a favor de quem o escreve... pode ser de algodão, pode ser agressivo, pode ser a lápis de carvão ou pode mesmo ter a melhor intenção, mas a sua compreensão nunca será uma ciência exacta. Existiria uma segunda matemática, outra geografia, outra linha de montagem que roubaria à escrita a delícia que é mantê-la em segredo.

 

... e ainda há outras vezes em que as palavras são só nossas e ficam arrumadas no caderninho de linhas direitas e a fio como que segredos que não queremos contar!

 

Parece-me bem para (re)começar...

 

 


publicado por teetee às 11:55

link do post | comentar | favorito

Domingo, 5 de Dezembro de 2010

Remetente & destinatário...

Carta a mim mesma.

 

Como me dirijo a mim própria sem o impessoal "eu", sem o abuso do "tu" e a inconveniência do "você"?... não sei por onde começar, depois de tanto tempo o lápis enferruja, as linhas tornam-se tremulas e os pensamentos fogem em todas as direcções, encobertos nos esconderijos mais inalcançáveis, como se jogassem às escondidas por detrás de um sorriso maroto.

Ora bem... e chega uma tosse, como que a preparar a garganta, como se as palavras conduzissem nessa estrada. Ergo os ombros, aliso os cabelos, perco tempo, perco-me antes de começar.

Mas como?... é assim que dou início. Como é que se pode ter a sensação que se tem uma vida, esse prédio que se constrói andar por andar, porta por porta... sem o habitar? Ter uma vida e não habitar nela? como?

Já paraste para pensar nas vezes que a vida te escapa, foge ao teu controlo ao ponto de seres como uma projecção que regressa ao prédio de quando em vez?

... e assim as linhas se vão cosendo, desordenadas, sem um fio condutor, de uma forma tão confusa, num acumular de heterónimos, narradores, destinatários, autores e remetentes, ora de ficção, ora de vida real, numa dança em que ambas se movem e rodopiam dias seguidos sem dar as mãos, mantendo sempre, sempre a mesma distância uma da outra, centímetro a milímetro.

Deve haver, com toda a certeza, um corredor secreto que as una, uma passagem subterrânea que me permita construir a minha própria narrativa, encontrar-me dentro dessa casa. Mais do que uma história épica de poder, é uma história de posse de mim por mim mesma.

 

... faço uma pausa.

 

Alguém deixou a porta aberta, reparo, pergunto-me: Queres entrar?

Lá dentro espera-me uma grande sala, mas o espaço parece preparado, cuidadosamente à espera que chegue mais alguem.

Sento-me e procuro ficar de costas direitas (corrijo a minha postura, duas ou três vezes, teimosamente) e dou comigo a contar as cadeiras, à espera!... é assim que estou, é assim que fico, sem possibilidades que ofereçam vida real à ficção. Por quanto tempo? Deves respirar fundo, encher o peito de ar e antes até de agir, decidir, se queres ficar ou partir... não te deixes levar por essa corrente, não te deixes ficar pela solidez das paredes. Senta-te, pensa, aquieta o teu corpo..

 

 

 


publicado por teetee às 13:25

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Segunda-feira, 18 de Outubro de 2010

Without sense...

 

 

 

 

 

 


publicado por teetee às 19:07

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Sábado, 9 de Outubro de 2010

Laços...

 

Como começar uma história sem a celebre frase “Era uma vez”?...  Esta não é mesmo uma tarefa fácil, descrever  ou traduzir por palavras a história de alguém, sobretudo quando se trata de um alguém que nos é muito querido, um alguém que tem o mesmo sangue que nos corre nas veias, se as palavras tivessem avesso tudo seria muito mais fácil.

Bem, e sem dar conta já dei inicio á tarefa!

Era uma vez, era uma vez… e assim já são duas!... uma bebe que nasceu dia 21 de Abril de 1992, nessa primavera já eu tinha 13 anos e nesse dia (assim de um dia para o outro), precisamente nessa data, passei a ter uma função a que os familiares chamavam “irmã mais velha” e ser ter um curso ou workshop depressa aprendi a mudar fraldas, fazer biberões de leite e mais um sem fim de cuidados que envolvem a vida de um bebé.

Chama-se Joana, a menina que tratou de me tirar, de um dia para o outro o lugar de filha única para o lugar de “irmã mais velha”… lindo serviço! Não se faz!

Levou algum tempo até lhe perdoar!... Especialmente porque até mesmo depois de crescer era eu a gata borralheira que arrumava o quarto.

Depois de muitas e muitas noites a desejarmos “sonhos de todas as cores uma à outra”, o tempo passou e com ele cresceu também a amizade e a cumplicidade entre nós e agora que a conversa está a tomar um tom mais sério é altura de dizer “gosto muito de ti miúda!”. A miúda, de tanto comer (pois é adepta de um bom petisco e do vitória de Setúbal também) tornou-se numa valentona capaz de defender a “mana mais velha”, muito mais enfezada!

Em pouco ou nada somos parecidas, ninguém nos diria irmãs ou sequer primas, tal como a canção do Marco Paulo “uma é loura e a outra é morena”, os nossos pais têm dois amores!

E agora que a tarefa está a mais de meio de acabar é tempo de escrever umas linhas no diploma da melhor irmã do mundo que me ensinou a partilhar, a cuidar de um nenuco de verdade, a dizer “não venhas tarde”, a recomendar “não te esqueças de estudar”, mas acima de tudo ensinou-me a gostar como não se gosta de mais ninguém!


publicado por teetee às 12:57

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sábado, 2 de Outubro de 2010

Quando ele chega...

 

 

Entregue ao mistério de mim mesma, aquele que tantas vezes sinto presente e que raramente confesso aos outros. Sentada ao fundo, oferecida a um café de chávena longa, rendida a um livro, pousada num lápis... no miradouro de mim mesma.

tags:

publicado por teetee às 12:18

link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Terça-feira, 21 de Setembro de 2010

Erg chebbi

 

Aqui sim, não há um caminho, as ruas não têm nome, não existem mapas, esquinas ou desfiladeiros. O deserto é banhado pelo som do silêncio que é irrompido de lés a lés pelo ruído da areia de toca o cume das dunas e se espanha no horizonte...

 

 

 

 

Uma vela, apenas uma vela fecha e une o círculo de seis copos de "whisky berbere", o chá do deserto, no chão, iluminado pelas estrelas do tecto do mundo que começa e acaba aqui!

Não sei se é o princípio ou o fim, sei que há um encontro com o nada que me enche de paz, o largar de todas as fronteiras do conforto e da imensidão tremenda dos excessos dos lugares comuns.

 

 

 

Esta noite sinto-me confortavelmente coberta por um azul escuro, aqui onde o silêncio não mente, é tão íntimo que não pode ser representado, perdido ou achado, tão envolvente que não pode ser rasgado nem apagado... é ele que nos une enquanto seres e nos prende à eternidade.

 

 

Carta do deserto:

 

"Respondendo-te...

Que o deserto te mude, chegas-me tu por palavras assim.

De certo mudará um pouco daquilo que sou, tal como o fizeram todos os lugares por onde já passei mas... há coisas que só se encontram dentro de nós e esa procura, ainda que o deserto e o seu vazio e o silêncio sejam um lugar de excelência que convidam à paz e à reflexão, é um caminho contínuo que passa também pelo aceitar e bem estar com a pessoa que somos." tee

 

 

 

 


publicado por teetee às 21:28

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Quarta-feira, 1 de Setembro de 2010

Fé de Fez...

Esta cidade labirintica, de ruas sujas e estreitas tinha, com toda a certeza, contas passadas a acertar connosco!

Depressa se tornou urgente abandonar este lugar, com ou sem perdões, rancores ou histórias amargas...

Aqui, as crianças menores de 5 anos parecem ser o maior sinal de perigo, roubam, correm e desaparecem por ruelas onde mais ninguem passa.

Uma questão impõe-se: como descrever uma taça de mel como a do pequeno almoço?... sem dizer "merda" e sem uma escrita by Margarida Rebelo Pinto que lhe chamaria delicadamente "falta de higiene"? como dizer "porcaria" de uma forma literária?... sem ofender o leitor mas provocando-lhe o nojo e a repugnância que senti...?

A fome perde-se em cada corredor da medina, o calor apodera-se do corpo, nesta cidade situada entre os terrenos férteis do Sais e as florestas do Médio Atlas... a mais antiga das cidades imperiais de Marrocos, declarada património mundial da humanidade.

 

 

 

 

 

... e se há dias de luta, também os há de paz, dias para atirar pedras e dias para juntá-las!

Apesar dos desajustes, episódios e desamores há sempre boas mãos que nos chegam, cantos que nos acalmam ... um bom lar onde dormir, um prato de fruta para pacificar o estômago, um estranho que nos conforta!

 

 

 

 

.. a vida é uma estrada de lições, de altos e baixos, perdões, fé e medos! Não há caminho que não leve a outro nem tempestade que que não traga o sol. Assim se sucedem os dias, as estações e todos os ciclos de semear e colher!

 

 

 

 


publicado por teetee às 20:39

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Domingo, 22 de Agosto de 2010

Bleu Chefchaouen...

 

Não poderia imaginar que aqui, à porta de Africa, a norte, colheria um sonho azul...

Assim nos recebe Marrocos, neste lugar de manto azul, de tons que descem e sobem o índigo...

 

 

 

... um manto que cobre as janelas, as casas e entradas por onde se espanham

 passos de pessoas.

Deixo saudades por todos os cantos, saudades que me enchem de desejo de

levar todas essas imagens e sensações comigo...

 

 

 

Oferecê-las, de mão beijada, a quem mais gosto, enviá-las por correio como

se pudesse retratá-las e fechá-las num envelope branco.

Resta-me encher o peito de ar, respirar cada esquina e rosto com que me encanto!

 

 

 

 


publicado por teetee às 21:50

link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 22 de Junho de 2010

Diário de viagem...

Acordo ... num ambiente em que estranhos, vozes, nacionalidades se cruzam e se fundem num clima de partilha, sinto-me em casa, penso.

É uma morada agradável o numero 16, com hospedes e proprietário à mistura.

Somos recebidas por uma cara de sono, ainda com vincos do lençol, provas de uma noite pouco ou nada dormida. Depressa se prontifica a arranjar-nos um quarto. São sete da manhã e o clube de futebol local ganhou na noite anterior, a cidade está repleta de copos e vestígios de fiesta por todas as ruas da parte vieja ... tresanda a alcool, ainda se ouvem canticos de vitória de vozes torcidas... a noite vai longa, quase manhã.

A casa veste-se de um cheiro a café que percorre o corredor até aos quartos, há barulhos de gente na cozinha, chilelam passos pelo chão incerto deste andar que não tem mais de 5 quartos, mas tem uma alma... respira-se amizade, união, neste mundo de sentimentos em vias de extinção.

 

Enjoy san sebastianSan sebastian

 

 


publicado por teetee às 22:12

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Domingo, 11 de Abril de 2010

Menina e moça...

 

tags:

publicado por teetee às 21:53

link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Escuta ...


MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com

Truz Truz...

Free Hit Counters
Free Counter

me?

pesquisar

 

Abril 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


links

tags

todas as tags

subscrever feeds